Odontologia: para pessoas com Síndrome de Down

A Odontologia evoluiu muito de uns anos para cá, e junto a isso técnicas foram desenvolvidas para tratar pacientes com Síndrome de Down. Só que muitos profissionais ficam sem saber o que fazer, mas se seus pacientes forem crianças, conseguem se adaptar mais facilmente.

E quanto antes for iniciado um tratamento, é possível evitar muitos problemas futuros. É normal que pacientes com Síndrome de Down apresentem algumas alterações, como dentição tardia, má oclusão, etc. E se você estiver atento a tudo isso, melhor.

Agora, se é a primeira vez que você atende um paciente especial, é preciso saber como lidar da forma mais assertiva.

 

O que é a Síndrome de Down?

Então, é uma anomalia cromossômica, isto é, tem um cromossomo a mais no par 21. Então, a pessoa em vez de ter 46 cromossomos, tem 47.

Na maioria das vezes, apresentam algumas alterações, por exemplo, problemas cardíacos, mão largas, dedos mais curtos, olhos pequenos, etc.  O ponto aqui é que muitos pais ficam tão preocupados com a criança que acabam negligenciando a saúde bucal.

Por isso que o ideal seria que todos os profissionais de saúde divulgassem a importância de levar portadores de Síndrome de Down ao dentista.

 

Por que é importante levar um portador de Síndrome de Down ao dentista?

Então, uma criança com Síndrome de Down deve seguir a mesma rotina de qualquer outra criança, pois quanto antes algum problema for detectado, mais assertivo será o tratamento.

Veja algumas alterações mais frequentes:

  • Dentição tardia, isto é, os dentes podem sofrer atraso na erupção;
  • Baixa presença de cáries;
  • Maior risco a doenças periodontais, devido à má higienização bucal.

Mesmo não apresentando muitas cáries, se os problemas periodontais não forem tratados, podem se tornar bem sérios. Por isso a importância de a criança ser levada o mais cedo possível ao dentista.ir

É importante também passar todas as orientações aos pais quanto à higiene bucal, pois assim irá prevenir todos esses problemas.

 

Meu paciente tem Síndrome de Down, o que fazer?

Agora que você já conhece as principais características dessa síndrome, é importante levar todos esses aspectos em consideração e ficar bem atento a essas alterações.

As crianças são dóceis e meigas e não é difícil lidar com elas. Procure conversar com os pais, até para saber mais sobre a criança, se tem algum medo, do que mais gosta. Assim, você consegue se conectar com seu paciente e faz com que ele aceite o tratamento.

É claro que tudo vai depender da severidade do caso, mas geralmente, não é um grande desafio tratar de pacientes que têm Síndrome de Down.

Não se esqueça que assim como qualquer outra criança, você terá que trabalhar com o lúdico. Por isso, tenha muitos brinquedos, como jogos de montar, quebra-cabeças e livros. A criança precisa se sentir confortável e, principalmente, que não cresça com uma imagem destorcida do dentista.

E que ela compreenda que está ali para cuidar dos seus dentes e que aquilo vai ser bom para ela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *