Mitos e verdades sobre infertilidade

Com certeza você já ouviu muitas histórias sobre infertilidade, mas será que sabe identificar quais os mitos e verdades sobre o assunto?

Dois em cada dez casais vivem a realidade da infertilidade. O panorama incerto que essa situação implica geralmente gera ansiedade e até desesperança nos afetados, pois o desejo de ter uma linda bebê está por um fio; muitos desistem e perdem a batalha sem terem lutado. No entanto, existem alternativas para tratar o problema e realizar o sonho de ser mãe e pai.

A maioria dos ginecologistas e obstetras especializados em reprodução humana, consideram que existe uma falta geral de conhecimento sobre o assunto, além de invenções, mentiras e preconceitos culturais que não prejudica e assusta aqueles que enfrentam dificuldades em obter uma gravidez espontânea.

Confira a seguir quais os principais mitos e verdades sobre infertilidade:

Quais os mitos e verdades sobre infertilidade

Mito: A infertilidade afeta mais mulheres do que homens

Isso não é verdade, existem tantos distúrbios nas mulheres quanto nos homens. O gênero não é um fator de risco para infertilidade, normalmente, o problema pode estar associado a doenças, estilo de vida, genética, acidentes, câncer, entre outros.

Mito: A infertilidade é causada pela ansiedade

Isso é um mito. A ansiedade é um efeito da infertilidade, não a causa. Encontrar um parceiro com infertilidade que não tenha ansiedade é tão difícil quanto encontrar um casal cuja infertilidade é causada por ansiedade.

É muito importante que aqueles que estão passando por essa situação entendam que têm o direito de senti-la e consultar um psicólogo não é algo ruim, mas sim importante para ajudar com o tratamento.

Mito: As pílulas anticoncepcionais causam infertilidade

Pelo contrário, elas são protetoras da fertilidade porque evitam a formação de cistos ovarianos e controlam doenças que têm a ver com infertilidade, como a endometriose.

Cerca de 90% das mulheres que descontinuam as pílulas anticoncepcionais retomam a função ovulatória normal nos primeiros três meses; os 10% que não fazem isso, provavelmente, podem ter um distúrbio ovulatório que foi mascarado pelos comprimidos.

Mito: Uma mulher na menopausa não pode ter filhos

Antes era um fato; hoje é um mito. Graças ao avanço da medicina, uma mulher na menopausa pode ter filhos doando óvulos, o tratamento reprodutivo mais eficiente de todos.

De fato, é mais provável que uma mulher na menopausa de 50 anos engravide doando óvulos, do que uma mulher de 30 anos que tem um problema tubário e precisa de fertilização in vitro, porque o útero não envelhece à taxa do ovário.

Mito: Um homem que não tem esperma no sêmen não pode engravidar

Não é verdade. Na maioria das vezes, é necessário procurá-los diretamente no testículo por meio de uma aspiração testicular, para que não haja problemas.

Mito: Os tratamentos reprodutivos são muito caros

Não é verdade. Dos 100 casais que têm problemas de fertilidade, apenas 20 precisam de tratamentos altamente complexos e caros, 80 são resolvidos com métodos extremamente simples e baratos.

Verdade: Os tratamentos de fertilidade produzem gestação de gêmeos

É verdade que os tratamentos para fertilização, estão associados ao aumento da frequência de gestações múltiplas, mas nem todos os casos são assim. A chance de uma mulher engravidar de gêmeos sem ter sido submetida a tratamento de fertilidade é de 1 em 80 a 1 em 200; com um tratamento de fertilidade (fertilização in vitro), a chance é de 1 em 5. Aumenta até 50 vezes, mas a maioria ainda é de gravidez única.

As informações acima são apenas para esclarecer alguns mitos em relação à infertilidade, devemos lembrar que cada caso deve ser tratado como único, ou seja, se você tem problemas para engravidar, consulte um especialista, o qual irá avaliar o seu caso, solicitar exames e indicar o melhor tratamento.

Dicas de saúde – Buena Beleza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *