Saúde dos dentes: 7 dicas para manter a higiene dos dente em dia

A saúde bucal é essencial para o bem-estar e a saúde geral. É por meio do cuidado com as estruturas da boca, tal como os dentes, gengiva e língua, que se é possível evitar complicações como o aparecimento de tártaro, cáries e gengivite.

Conheça aqui as 7 dicas infalíveis para manter a dentição e toda a zona bucal livre de doenças:

Como manter a saúde dos dentes em dia?

É pela falta dos cuidados necessários para com a arcada dentária que os principais problemas bucais aparecem. Para manter a saúde dos dentes em dia é importante considerar quais são as principais medidas que não devem faltar no cotidiano, são elas:

1 – Escovação adequada

Manter uma escovação adequada é uma das principais formas de manter os dentes mais limpos e saudáveis.

É importante que desde o nascimento dos primeiros componentes da dentição primária haja a preocupação sobre como a escovação deve ser feita de forma correta. Para isso, deve-se ouvir as orientações do dentista quanto a como realizar uma limpeza de movimentos mais precisos.

O indicado é que os movimentos revezem entre de “vai-e-vem” e de varredura, procurando fazer a limpeza das minúcias e das regiões mais escondidas da boca. Não deixe de lado a escovação da língua, já que assim como os dentes, é capaz de acumular resíduos e microrganismos.

2 – Escolha bem a sua escova

Além dos movimentos, tenha em vista que a escova de dente é a sua principal aliada para uma limpeza profunda e precisa. Para a escolha da melhor escova, também considere as indicações de seu dentista.

O tipo de escova mais recomendado é o modelo de cerdas macias, cabeça pequena e cabo longo, já que não machuca as estruturas da boca e facilita o seu manuseio.

Para quem possui alguma debilidade que dificulta os movimentos manuais da escova, optar por uma escova elétrica pode ser a melhor escolha.

3 – Não esqueça de passar o fio dental

A escova é responsável pela limpeza da superfície dentária. Logo, não é capaz de remover os restos de alimentos e a placa bacteriana existente entre os espaçamentos dos dentes.

Dessa forma, é o fio dental o item de higiene bucal que realiza a limpeza das áreas que a escova dental não possui acesso, não deixando impurezas para trás e que a dentição fique suscetível a problemas.

Não se esqueça de que todos os passos da higiene bucal estão relacionados a sua melhor qualidade de vida.

4 – Escolher o fio dental ideal

Saber escolher o fio dental melhor para você é capaz de facilitar, e muito, a higiene bucal. Assim como existem uma série de tipos de escova de dente, atualmente, há no mercado vários tipos de fio dental, cada um buscando trazer uma maior praticidade de sua forma.

Entre os modelos disponíveis estão o Super Floss, o de monofilamento, multifilamento, fio dental com haste e o fio dental com cera.

Para pessoas que estão passando por algum tipo de tratamento ortodôntico, o dentista pode indicar alguns instrumentos para ajudar na passagem do fio, como o passa fio, e ainda o uso de escovas específicas como a escova ortodôntica e a interdental.

5 – Bochecho com o enxaguante bucal

A frequência e a necessidade do uso do enxaguante bucal deve ser regulado e estabelecido pelo dentista. Isso considerando as particularidades da saúde bucal de cada paciente.

Pessoas que tendem a ter cáries e doenças periodontais são orientadas a fazer o uso do antisséptico bucal regularmente, já pessoas que possuem tendência à fluorose devem usar em uma periodicidade menor, sob as orientações do dentista.

O bochecho deve durar ao menos 30 segundos para ter efeito, ajudando na limpeza e promovendo refrescância. Deve ser feito com 20ml do produto, que deve ser cuspido logo após. O bochecho com o produto deve ser feito após a escovação e a passagem do fio dental, sendo a fase final da limpeza.

6 – Enxaguante bucal mais adequado

A escolha do antisséptico bucal também deve passar pelo profissional e deve evitar ter álcool em sua composição, uma vez que pode levar a ardência e o ressecamento da boca. Assim, fazendo com que a região se torne um local propício à proliferação de bactérias.

O mais indicado é que o antisséptico bucal seja à base de CPC (cloreto de cetilpiridínio) e fluoreto, que é uma composição mais eficiente.

7 – Visitas regulares ao dentista

Os cuidados com a saúde bucal não devem parar em casa, não se limitando às medidas de higiene diárias. As visitas regulares ao dentista são decisivas para que haja não só o tratamento, mas também a prevenção de uma série de complicações bucais.

Seja através dos benefícios de um plano odontológico, ou por meio de uma clínica odontológica de sua confiança, que se é possível manter as vantagens de procedimentos regulares, tal como a profilaxia (limpeza profissional).

Por fim, a frequência ao consultório odontológico deve ser de ao menos 2 vezes ao ano (de 6 em 6 meses), conseguindo assim, manter não só a boca do paciente, mas também o seu organismo livre de doenças.

Deixe um comentário